sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

2013 foi cheio de realizações...

Durante o ano letivo de 2013, muitas atividades foram propostas, alegrias, broncas e muita convivência.
Sétimos Anos, desejo a vocês que continuem melhorando, viajando para os mais diversos lugares nos diversos livros que ainda vão ler, muita sorte e sucesso.

No último bimestre fora feitas diversas atividades, como projetos de pesquisa, narrativas de terror, e por fim, paródias e amigo secreto no 7° II.

Em Inglês também tivemos como data importante o Halloween.


UM AGRADECIMENTO TODO ESPECIAL AOS AUTORES: 

Keila Gon, Bruna Camporezi, Camila Dornas, M C Jachnkee Marli, Fabiana Ricardo Lange Brandes, Johnny Virgil, Regina Monge, Ricardo Costac.

SEM VOCÊS, NOSSO PROJETO NÃO SE DESENVOLVERIA.

Fica aqui os nossos registros:




























FELIZ NATAL E MARAVILHOSO ANO NOVO A TODOS!!!


ABRAÇOS,


CLEIDE.


sábado, 7 de dezembro de 2013

A maldição de Anne de Ezequiel V. Tavares

 Essa história fala sobre um vilarejo no meio da mata Amazônica, com aproximadamente 600 habitantes.Lá havia uma menininha de olhos azuis, que se chamava Anne, muito diferente dos outros.A anciã do vilarejo falava que ela era amaldiçoada, mas quem ia acreditar numa velha, aquela menina era tão bonita, até que o pior aconteceu, Anne fez 15 anos e deu a luz a seu primeiro filho, pois aquele povo se casava cedo, o filho nasceu saudável, mas com um ódio horripilante.O garoto foi crescendo e já podia ouvir os gritos esconde pelas paredes das casas, mas ninguém sabia o que era aquilo nem mesmo Anne.A anciã fugiu do vilarejo, ela deixou seu povo por causa de uma simples menininha de olhos azuis.
  Erik filho de Anne, chegou a bater na mãe cem nenhum motivo, Anne não pensou duas vezes pegou uma pedra e bateu na cabeça dele, poucos minutos depois ela se deu conta que tinha matado o seu único filho. Ela enterrou-o no bosque, um lugar lindo, cheio de cachoeiras, arco-íris, flores e animais.
  Um mês depois, os rios secaram, os arco-íris sumiram, as flores murcharam e os animais desapareceram. O espírito do garoto tomou conta do bosque. Ele destruía tudo por onde passava.
  Até que chegou a vez do vilarejo, a alma penada chegou pelo sul chamando pelo nome da mãe.Anne ouvindo o chamado saiu correndo na escuridão procurando aquela voz dócil e familiar, até que houve um silêncio profundo, Anne sentiu muito medo e decidiu voltar mas suas pernas estavam paralisadas, Anne ouviu um grito alto muito perto dela.
- O que você quer? Disse Anne
- Você mãe, você.Disse o Erik
-Não, não pode ser, filho.Disse Anne
-É isso mesmo mãe, eu vim para lhe oferecer uma proposta você vem descansar comigo ou fica viva e eu destruirei o vilarejo.Disse Erik
  Anne morreu para salvar o seu povo.A anciã estava errada Anne não era a maldição ela era a salvação.Apesar de seu crime.
     

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Livro - Bruna - O Círculo de Pedra

Circulo de pedra O/R. Costac.-Barueri, SP Novo Século 

Editora, 2012.-(Coleção novos talentos da literatura) 

Resumo:

O livro conta a história de 5 jovens entram para uma escola muito desejada de se estudar em uma ilha, ilha da coroa , mas lá acabam virando grandes amigos e decbrem uitos segredos.
Análise Critica A história descreve a aventura dos 5 jovens que vivem uma aventura na ilha da coroa sem deixar alguma coisa de lado a história foi muito bem contada, gostei muito deste livro. Trechos do livro: Roger permaneceu ali por alguns instantes diante da pedra que trazia a inscrição: Meu amor o passado nos aproximou , o presente nos separa , mas o futuro no unira eternamente.


Mensagem: Podemos fazer grandes amizades.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Aluna: Natali Maria Weiss 7°2

MONGE Regina: A escolha de cada um / Regina Monge/ Osasco SP: Novo século Editora 2010

Resumo: Humbert estava com 59 anos quando criou um criou, na época havia chances  de ser um grande best-sellers.
O autor fica órfão e vai para ostracismo, ganhava criticas depreciativas ate ser descoberto o maior best-sellers. Humbert era um homem de personalidade tímida e introspectiva e aquela mudança busca e sem opção.
Ele passou um longo período rajando com sua mulher e revendo seus amigos.
Na seguindo Anna uma pessoa bem-sucedida só que ela tem um grande vazio na alma não se apaixona há muito tempo ela iraja e conhece um rapaz um turista, uma semana depois ela volta para o Brasil e tentou falar com ele mas não consegue e volta para Nova York atrás dele porem tem uma grande revelação que você vai saber se ler o livro.

Análise critica: o livro pra mim conta a história de Anna muito legal porque conta a escolha de cada um.
Mesmo você não tendo ter uma felicidade.

Mensagem: para ir em busca da escolha.
Aluna: Elizabeth P. Paupério
Dados sobre o autor e a editora:
MONGE, Regina; A escolha de cada um/:Regina Monge.-Osasco,SP; Novo século, Editora,2010

Resumo.
O escritor Humbert estava com 59 anos quando ele decidiu criar um livro que na época tinha chances de ser um grande best-seller.
Anos se passaram e o livro foi esquecido. Foi para uma livraria. Um homem o comprou, o leu e o emprestou a sua sobrinha, que trabalhava em uma emissora de televisão e o final você terá que ler para saber.

Análise critica:
Eu gostei do livro por quê ele conta a história dele mesmo e eu achei interessante como a escrita conseguiu usar as palavras de fácil entendimento 

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Equipe: Morgana Moretto,Gabriel Floriano,Andressa,e Natali.

Que nota ruim
Minha mãe me botou pra fora
disse que se eu não melhora não entro mais não.
A nota é minha você que vá emborra
vai já por reforço se não vou te deixar.

Ela quer é me esfaquear
que filho vagabundo

Estudioso e não burrinho
você me apareceu
era tudo oque eu queria
Nota da sorte...
Equipe: João Vitor,Michele Horst,Willian Adriano,Eliel,Anderson Pedroso,Gabriel.

''Mulheres de Fases'' (Paródia)

Que político ruim,
Jogou dinheiro fora
Quiz ajudar mas me mandou emborra

Os doidos querem ajudar agora

Me diz Deus,oque eu faço
Se olhando desse jeito eles não me ajudão não
e agora será que vão emborra,
Esses políticos ladão só querem confusão

A robalhada  é fraquinha
pois não vai me ajudar,
era tudo oque eu queria
agora vou me vingar
vou me candidatar á político
pois agora vou ganhar,
pois esse mundo vai mudar,
Vai mudar.
                    Equipe: Debóra,Mariana,Ana,Thainara,e Elisabeth.

 Os beagles querem mais amar de verdade mais sinceridade.. 
Os homens são todos iguais,e no coração tem muito maldade mais ''Tô'' aqui pra provar..
Que as beagles inocentes,não merecem chorar pra gente negligente..
-Que não sabe o que é amar,escolha ser deferente amor eles..
                                 VÃO TE AMAR.. 
Autor: Johnny Virgil.
Editora: Sem editora.

Ele nasceu no mar em uma noite de tormento,e,ao mesmo tempo,um personagem fantástico e simbólico.Um divo da almas,dos bons pensamento,da humildade;
Jovem e puro com cheiro de mar com um coração simples e tem,mais muitas vezes incompreendidos e foi ignorado pelas pessoas por ser uma simples concha.
 De que algo que imaginavam não ter vida pode ser um triste e solitário homem...

Livro - Thainara

                          GON, Keila.Cores de outono, Novos Talentos. São Paulo, 2012

Melissa é uma jovem que perdeu os pais e viaja para a casa de seu avô com sua irmã mais nova, Alice.
  Enquanto ela está na cidade ele revê amigos.Melissa vive vários acontecimentos e aventuras,ela conhece um homem chamado vicente,um cara bonito e misterioso.
   A obra é muito interessante na minha opinião.Eu gostei muito do livro,pois ele deixa a mensagem que depois de uma coisa ruim vem coisas boas e que devemos viver a vida pois ela é uma só.
   O fim é muito interessante eu gostei muito...  

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Entrevista João e Gabriel

Escola Municipal de Ensino Fundamental “Santo Antônio”
Diretor: Dário Pegoretti.
Orientadora pedagógica: Mariney de Pin Oss  Emer
Professora: Cleide Pisetta
Disciplina: Português
Alunos: João V. Noriller e Gabriel O. R. Fiamoncini
Série: 7° 2
Entrevistado: Italo Luiz Noriller
Entrevista do Bairro


Introdução:
Fala pessoa l hoje estamos com Italo Luiz Noriller para saber um pouco mais como ele viveu antigamente em Rodeio.


1          1-  Qual era a religião que predominava na época na cidade de Rodeio?

R: A religião católica.

2-Como se chamava o cinema que existia em Rodeio?

R: Se chamava Ciner e onde é o salão Cristo Rei.

3-Como era a estrutura da prefeitura de Rodeio?

R: Tinha dois andares e é aquela que é velha prefeitura que existe até hoje.

4-Como vocês iam para a escola? E como eram os professores?

R: Nós íamos de apé  e os professores eram  muitos rigorosos e modestos

5- Quantos ceutomóveis avia em Rodeio?

R: Avia quatro automóveis e dois caminhões de carroceria

6-Na época as pessoas eram livres?

R: Eram mais felizes, mas contentes mais alegres por que não tinha nada de perturbação.

7-Como era a Rua Barão do Rio Branco?

R: Era Bono, cheia de Bororos e não tinha calçamento

8- Na sua época as oportunidades de trabalhos em Rodeio?

R:Industriosos eram difíceis e as oportunidades e por isso quase todo mundo trabalhava na rosa.

9-E o transporte? Existia ônibus públicos?

R:Existia ônibus que iam até Timbó e donos eram os Diniz.

10-Como era o nome e condição em Rodeio?

R: Nossas Bisavós e avós vieram da Itália e sabiam o sentido e licaram o dia inteiro fazendo círculos e chegaram ao mesmo lugar que tinham saídos e deram o nome de Rodeio. E as condições eram sempre os mesmos.  

Despedida:

Obrigado pela contribuição e pela presença e por tudo, tchau.

Leituras do 4º Bimestre


Leitores do 7º ano I.



Vitor está lendo O Jardineiro de Fallujah e Nino, O Menino do Morro de Ricardo Brandes.


Maria está lendo A Escolha de Cada Um de Regina Monge.


Bia está lendo Pégasus.


Ian está lendo O Segredo de Landara de Bruna Camporezi.


                            

Camila está Lendo Amazônia - Um Caminho para o Sonho de M. C. Jachnkee.


Bruna Andrade continuará com a leitura do bimestre passado com o livro O Círculo de Pedra de R. Costac.



O 7º II também está lendo...


Elizabeth e Natalí estão lendo A Escolha de Cada Um.


Marcos está Lendo Amazônia - Um Caminho para o Sonho de M. C. Jachnkee.


Michele está lendo A Linhagem de Camila Dornas.


Débora está lendo O Homem-Concha de Johnny Virgil.



Ana Julia está lendo Cores de Outono de Keila Gon.


A turminha inteira está lendo e conforme o bimestre passa, vamos postando as coisas aqui...


Boa leitura a todos...


Professora Cleide. 

Entrevista Elizabeth e Gabriel

Escola Municipal de Ensino Fundamental “Santo Antônio”
Diretor: Dário Pegoretti
Professora: Cleide Pisetta
Dupla: Gabriel Floriano e Elizabeth P. P.
Série: 7° ano 2
Data: 03/07/2013
Entrevista com Paulo S. Floriano.


Introdução:
Eu Gabriel Floriano e Elizabeth P.P do 7°ano2, realizamos uma entrevista com o Senhor Paulo Sergio Floriano, nascido na cidade de Rodeio no dia 19/02/12. Funcionário de um Despachante a 22 anos, eleito vereador em 20004,reeleito em 2008, e reeleito novamente em2012.
Realizamos a entrevista com um objetivo de termos uma visão politica do município.


Gabriel-Quais foram as principais mudanças que você sentiu desde quando entrou na prefeitura?

Sr Paulo: As principais mudanças eu acho que nos temos no nosso município desde minha primeira vez como vereador há quatro anos, eu diria que foi a inauguração de creche no bairro Rodeio 12 e a inauguração do posto de saúde no bairro Rio Morto e as ruas que foram calçadas no nosso município durante os últimos tempos.

Gabriel: Não sei se você vai conseguir essa, mas como funcionava a prefeitura há 20 anos?

Sr Paulo: Há 20 anos, e meio difícil de responder por que na época eu não trabalhava com politica, frequentava muito pouco a prefeitura, mas eu acredito que era mais fácil ser prefeito na época. Não existia tanta cobrança da população. Há 20 anos nosso município também não tinha essa população de 11 mil habitantes e não existia também a lei de responsabilidade fiscal que cobra muito do prefeito que assume a prefeitura de uns 5 anos pra cá.

Gabriel: Quando você entrou na prefeitura, todos nós sabemos que a cidade tinha pouca população e indústrias, você fez algum projeto para mudar essa situação?

Sr Paulo: É eu vejo que essa pergunta não foi muito bem formulada, porque o IBGE, a nossa população de 10 anos atrás, era 10mil habitantes e hoje temos apenas 11 mil habitantes, nosso município não está faltando tudo, o que estaria faltando é não de obra qualificada.

Gabriel: Quando você era criança, você morava no bairro São Pedro. Você sentiu muitas diferenças de lá para cá?

Sr Paulo: É logico que existem diferenças da minha época e da época em que vocês estão vivendo hoje. Hoje existe a era da informática, quando eu tinha 8 para 9 anos não existiam tantas informações, internet, brincadeiras e isso tudo.

Gabriel: Você foi algumas vezes para Brasília para trazer alguns projetos para a cidade. Quais os projetos que você conseguiu?

Sr Paulo: Na verdade foi três vezes para Brasília, mais, a primeira vez que estive em Brasília, eu estava licenciando como vereador, eu era assessor parlamentar. Trabalhava no mandato do deputado estadual Francisco de Assis, e essa viagem eu fiz com Francisco de Assis para tratar de assuntos de interesses do estado de Santa Catarina. A segunda vez que fui para Brasília foi no ano de 2007 na qual eu era presidente da câmera, eu estive junto com o prefeito que na época era o Genor Girard e nos estávamos tentando na época conseguir o que hoje é a realidade do nosso município e a terceira vez que fui para Brasília conseguimos a verba para fazer o calçamento da Rua dos Eucaliptos no bairro Nova Brasília e uma parte da Rua São Pedro Nova feita por verbas do deputado federal.

Gabriel: Sabendo que o prefeito é do seu partido, vocês preveem muitas melhoras para a cidade?

Sr Paulo: É logico que todo prefeito, todo vereador para assumir um mandato tem que ter ideias na cabeça, é... Temos vários projetos, só que esses projetos dependem muito das verbas federais e estaduais que hoje no nosso município é muito pouco porque o município investe 25% na saúde, temos uma folha de pagamento que hoje caberia 51% de toda arrecadação do município. Então logico que temos um projeto para reurbanização do trecho principal da Rua Barão que na realidade se não for esse ano, está previsto para ano que vem.

Gabriel: Você se lembra como era a cidade quando tinha 10 anos de idade? O que mudou?

Sr Paulo: Mudou bastante a cidade de que quando eu era piá, quando eu tinha 10 anos, faz 32 anos atrás, nós não tínhamos tantas ruas calçadas, não tínhamos bueiros nas ruas, não tinha o que hoje vocês têm o transporte que você sai da sua casa tem o ônibus da prefeitura para te  levar no colégio. Ou a gente ia de bicicleta ou de a pé. Então melhorou bastante
.
Gabriel: Na sua infância a cidade tinha algum tipo de diversão? Quais?

Sr Paulo: é praticamente a diversão de hoje, jogávamos futebol, brincava na arrozeira, brincava de estilingue, jogava clica, as meninas brincavam de amarelinha, era só isso.

Gabriel: Mas tinha alguma obra... Tinha... Vamos dizer alguma diversão, alguma coisa para fazer?

Sr Paulo: Diversão... Era um dia no parque de diversão, as brincadeiras, mas era básico...

Gabriel: Agora vamos fazer uma entrevista ping-pong, eu falo uma palavra e você responde com a primeira palavra que vem na sua cabeça relacionada com Rodeio:

Paz: Município de Rodeio

Trabalho: Dignifica homem

Família: Alicerce tudo

Dinheiro: Realização

Vereador: Uma luta e uma conquista.

Educação: De qualidade para todos

Gabriel: Bom, então é isso, quero agradecer a presença do Senhor por ter deixado nós vimos aqui fazer todo esse trabalho. Obrigado.

Sr Paulo: Eu é que agradeço você Gabriel e Elizabeth pela oportunidade. Obrigado.









sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Entrevista Morgana e Natali

Escola Municipal de Ensino Fundamental “Santo Antônio”

Diretor: Dário Pegoretti

Professora: Cleide B. T. Pisetta

Disciplina: Português

Alunas: Morgana Moretto e Natali Maria Weiss - 7°ano2


Entrevista


Entrevistado: Paulo Notari


Introdução

Estamos entrevistando o senhor Paulo Notari, ele mora no Ipiranga em Rodeio.
Ele tem 85 anos, vamos entrevistar o senhor para perguntar um pouco sobre Rodeio.

1-Como era a cidade de Rodeio antigamente?

R: A cidade era menos populosa, mas escola sempre tinha, nunca fui mal tratado.

2-Como eram as atrações turísticas?

R:As atrações turísticas eram o futebol, as festas, o futebol sempre teve e tem até hoje e as festas também e faziam cerveja doce.

3-Mudou o turismo da cidade quando você fez os monumentos e plantou as hortênsias?

R:Sim, porque chama bastante a atenção tanto para turistas ou para pessoas que moram porá aqui.

4-Como você teve esta ideia, se inspirou em alguém? 

R:Teve a ideia para fazer alguma coisa diferente, não me espirou em ninguém.

5-Como você começou este trabalho? Teve dificuldades .A cidade te apoiou?

R:Comecei plantando as hortênsias e depois os monumento, tive muitas dificuldades, a cidade não me ajudou muito apenas a comunidade ajudava.

6-Quando você era criança você já tinha este sonho?

R:Não, sempre sonhava com outras coisas mas não imaginava que iria fazer isso.

7-Qual as diferenças de antigamente e de hoje?

R:Muitas diferenças hoje em dia a modernidade está bem avançada, antigamente não tinha muito dessas coisas, hoje em dia é tão simples e fácil cometer uma tragédia.

8-Como era a saúde de antigamente?

R:Está melhor, mais sempre tivemos a medicina sempre que precisava, se não tivesse estaria morto.

9-A vida era melhor em Rodeio?

R: Era divertida, claro que agora tem muitas coisas que antes não tinha mas a vida é melhor agora.

10-Em respeito á saúde ela melhorou ou piorou de antigamente para hoje em dia na cidade de Rodeio?

R:Melhorou bastante, mas antes tinha hospital e agora não mas tem o posto que somos bem atendidos.


Despedida: Obrigado senhor Paulo uma boa tarde ao senhor.

Entrevista Ana

Escola municipal de Ensino Fundamental “Santo Antônio”.

Diretor: Dário Pegoretti.

Professora: Cleide B. T. Pisetta.

Disciplina: Português

Aluna: Ana Julia Fiamoncini-7ano2

Data da entrega:03 de julho de 2013


Entrevistadora: Ana Julia Fiamoncini


Entrevistada: Marlise L. Fiamoncini. 


Rodeio 2013



Hoje eu vou entrevistar uma moradora da cidade de Rodeio, Marlise Lorenzi Fiamoncini.
 Vai ser assim eu vou fazer perguntas da cidade antigamente e hoje em dia, e você responde conforme a sua opinião.
Você entendeu?
Resposta: Entendi.
Então vamos começar!


1-Como era a educação antigamente? Vocês chegavam a completar o ensino médio? Existia transporte público para ir a escola?

R:Era muito pouco valorizada a maioria não chegava a completar o ensino médio, não, havia transporte, a gente ia a pé.

2-A questão do comércio como era? Vocês plantavam o que? Quais as principais coisas que vocês compravam?

R:Quase não existia comércio, a gente plantava verdura, fruta, legumes e a maioria das famílias tinham criações de suínos, aves e geralmente uma vaca de leite para o consumo próprio, nós comprava-mos arroz, batata inglesa, trigo, carne bovina, roupas e calçados.

3-Quais as coisas que você lembra que tinha na cidade e hoje em dia não tem mais?

R:O hospital, a escola no Rodeio 50, engenhos de arroz, moinho de polenta e La Sagra.

4-Quando você tinha 7 anos como era a cidade ? As estradas? E as construções?

R:A cidade era muito pobre, as estradas eram todas de barro e as construções eram quase todas de madeira.

5-No caso das famílias, vocês eram acostumados a fazer refeições juntos? O que mais vocês faziam reunidos?

R:Sempre que era possível, rezávamos o terço todas as noites e íamos todo sábado na missa.

6-Apartir de quando mais ou menos a cidade começou a mudar? O que você acha sobre as mudanças que ocorreram?

R:A cidade começou a mudar na década de 70, quando a Cia Hering se instalou em Rodeio, foi muito bom pois assim gerou emprego para as mulheres e as famílias puderam assim adquirir alguns bens materiais e ter um pouco de conforto.

7-O que você acha da cidade hoje em dia? Dos bairros? O que poderia melhorar?

R: Eu gosto muito de morar na cidade, mais deveria voltar a funcionar o hospital, quando aos bairros eu acho que cada um deveria ter sua própria farmácia.

8-Qual sua opinião sobre as autoridades públicas terem tirado o hospital da cidade?

R:Na minha opinião eles não poderiam ter desativado o hospital assim a gente não precisaria se deslocar para outras cidades.

9-Hoje em dia na educação que você acha que deveria melhorar?

R: Eu acho que os profissionais da educação deveriam ser mais valorizados e melhorar remunerados.

10-Sobre o comércio você acha melhor como era antigamente ou hoje em dia?

R: Como toda certeza hoje em dia é bem melhor.


Muito obrigado pela atenção!
Tudo de bom na sua vida e de sua família...

Até mais.

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Nome: Jefferson G. de Souza Opinião crítica do livro Nome do autor:Ricardo Brandes. Título do livro: O Jardineiro de Fallujah –O Tsunami Editora: Autores Ano de edição: 2010 Pra mim o livro fala sobre ma família de turistas suecos que foram para a Ásia em 2004 e foram para o mar e os pais de um menino chamado Eric,foram com um guia debaixo da água e ficaram um grande tempo debaixo da água e no período que eles estavam na água deu um tsunami e deu primeiro uma onda baixa, depois uma média e depois uma grande. E a maioria das pessoas morreram com aquele tsunami. E quando os pais de Eric saíram da água viram que o filho deles tinha sumido e foram ver na cidade mais viram que na cidade tinha água pra todo lado. Depois de sete dias indo todo dia para o centro de desaparecidos e Eric não ter aparecido estava na hora de ir embora. Eu aprendi que não se deve deixar crianças sozinhas. Fim.


Resenha Do livro

Aluno: Thiago H. Tassi Regina Monge, A Escolha de cada Um, Novo Século, 2010. Primeiramente, ele é dividido em duas partes. A primeira parte é o próprio livro que conta a história, isso eu achei diferente e interessante. Ele conta todas suas emoções, sonhos, sentimentos e sua vontade de se tornar um livro famoso, mas ele acaba jogado numa prateleira, até que Richard, um apaixonado por livros, e ele teve seu primeiro leitor, depois de seu ator e sua esposa. “O Sr. Richard ia me devorando a cada página. Não percebia passar o tempo. Aliás, pra ele, naquele instante, era como se nada existisse....” pg 31. Então, Richard entregou para sua sobrinha, que entregou para sua chefe, as duas acharam o livro tão bom que fizeram um programa sobre ele, e ele conseguiu realizar seu sonho de se tornar mundialmente famoso. A segunda parte fala de Anna, uma executiva bem sucedida, que não quis mais amar, porque seu primeiro amor morreu num acidente. Mas, quando viajou à Petra, conheceu um rapaz chamado John, e se apaixonou de novo. Ele se foi de novo para Nova York, mas desta vez ela foi atrás dele. Quando chegou lá, tocou a campainha e uma voz feminina respondeu, quase desistiu, mas ela só era irmã dele, mas quando perguntou por John, ela falou que ele morreu há três meses. “ Como assim, morto há três meses? “ pg 144. Depois, ela foi a uma peça, onde John disse que iria, onde encontrou Erik, um moço de olhos verdes, que era parecido com quem Anna sonhava, John apareceu na porta e sumiu em fumaça, Anna se sentiu em paz de novo.
Nome : Jefferson G. de Souza Opinião crítica do livro Nome do autor: Ricardo Parondy Título do livro: O Menino do Morro Editora: Alex Guenther. Ano de edição: 2008. São Paulo. O Menino do Morro Para mim o livro ensina para as pessoas que não tem nem lugar para morar por que é muito pobre e tem gente que tem muita saúde e não dá valor ao que tem e que querem ser mais do que os outros. Por isso eu acho que tem bastante pessoa que precisa aprender isso na vida. Eu recomendo o livro para todo mundo que quiser aprender e ver o livro. Esse livro fala de um menino que morava no morro com os pais dele e aí ele fugiu e quando chovia o barranco caía, o pai dele foi preso, e a mãe dele foi trabalhar na cidade grande, e deixou o filho morando sozinho na casa do morro.
                                                                       .

A ESCOLHA DE CADA UM

Nome do Livro: A escolha de cada um.
Nome da editora: Novo século ano 2010.
Nome do Autor: Regina Monge. 
                                                                                             ''Opinião Crítica'' 
     
   Eu estava cada vez mais lindo!Um talento  da área havia elaborado o design de minha capa.O conjunto de minhas páginas fascinava as pessoas.Esse livro ele é dividida em duas partes.A primeira parte fala de um autor famoso que fez um livro e ficou famoso.Ele  era rodeado de pessoas que só queriam seu dinheiro: amigos e pessoas de sua família.E ele fugi-o para viver uma vida mais calma.Patrícia a chefe confiava muito nela e lhe delegava muitas matérias importantes. Na segunda parte fala de uma executiva bem sucedida chamada Anna. Com a vida perfeita exceto que a um grande vazio na vida dela.
 Ela tinha um medo que era amar.Ela fica estressada e viaja para um lugar sossegado.E lá ela encontra uma paixão.Depois de um tempo volta para o Brasil.E ela tenta comunicar com ele, e não consegue.
Sem sucesso, ela volta para lá, chegando lá ela ganha uma grande revelação.Na primeira parte da história fala de emoções e sentimentos.
 E lá segunda parte fala de romance.
OPINIÃO: Esse livro é muito bom, eu gostei muito e recomendo para as outras pessoas lerem o livro.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

A ESCOLHA DE CADA UM

Nome do Livro: A escolha de cada um.
Nome da editora: Novo século ano 2010.
Nome do Autor: Regina MonGe.


                                  ''Opinião Crítica'' 

 ''Eu estava cada vez mais lindo! Um talento da área havia adorado o design de minha capa. Um conjunto de minhas cores fascinava as pessoas''.
  Esse trecho fala de um homem que escreve um livro que fez muito sucesso e fascina as pessoas. Por enquanto eu gostei. Mas depois de um tempo ele resolveu escrever um outro livro mas deixou-o guardado e aquele livro anterior deixou de fazer tanto sucesso.O escritor resolveu dar mais atenção á família e deixou suas ''Coisa'' de lado. Certo dia um homem entrou na biblioteca para escolher um livro e no final depois de tantos livros belíssimos ele escolheu aquele que  depois de tanto tempo de sucesso,transformou-se num livro sem sucesso,mas o leitor gostou muito e resolveu comprá-lo.Uma outra pessoa também conheceu este livro é muito lindo,ele nós mostra que todo problema tem uma solução e mostra que ele vem corre atrás dos nossos sonhos.Esquecer o passado e ir em busca de nossos sonhos e ideias.
 Dá a todos os mesmo direitos dA nossa felicidade e sucesso.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Escola Municipal de Ensino Fundamental ''Santo Antônio''.

Diretor: Dário Pegoretti.
Professora: Claide B.T.Pisetta.
Disciplina: Português 
Aluna: Michele Conãco Horst.
Serie: 7° Ano 2
Data de entrega: 03 de Julho de 2013.

              ''ENTREVISTADORA: MICHELE CONÃCO HORST''.
         ''ENTREVISTADA: THAIS FERNANDA CANÃCO DE SOUZA''.


 1° Como era a cidade antigamente? E como eram as casas,Igrejas etc..Como eram feitos de madeiras,Material,ou como?

Respo: Eram com casas mais de madeiras,poucos prédios,poucas igrejas eram melhor.

2° Vocês podiam ter filhos naquela época? Se for ''Sim'',Quantos? E se for ''Não'' Por quê?

Respo: Sim. O Mínimo possível pois já tinha-nos medos do que mudaria no mundo passar dos anos.

3° Vocês estudaram ate que série? E como eram os materiais tipo,Mochila,Cadernos,E os Lápis Etc...

Respo: Eu Thais: 4° Série.
Sim. Mas simples do que hoje e menos também lápis,Borracha,Caneta.. Só depois da 7° serie..

4° Mudaram muitas coisa daquela época,para essa época?

Respo: Sim. Mudaram principalmente na questão de economia,Saúde Etc...

5° Naquela época as pessoas tinham vontade própria para escolher suas região?

Respo: Não.Por que tinha-nos que continuar a região dos nossos pais e família.

6° Você que essa época ta melhor?do que aquela de antigamente?

Respo: Em questão de maternidade sim tá bem melhor. Mas na questão respeito o ser humano perdeu o respeito de si próprio tudo é movido ao dinheiro e hoje dinheiro não é mais nada para pagar a saúde,Comida,Criar os Filhos,Mantes uma casa etc..

7° Você acha que nossa cidade ta melhor?

Respo: Nem Tanto.

8° Você teve muitos filhos? com quantos anos você teve eles?

Respo: Tive 3. um com 18 anos outra com 19 e o ultimo com 22.

9° Você gostaria de volta ao passado? Ser for ''Sim'' Por quê? E se for ''Não'' Por quê?

Respo: Não.Por quê ficou mais fácil para nossos filhos as dias de. Nem tudo.

10° Como era o deslocamento  da sua casa,para escola?

Respo: A Pé.

OPINIÃO CRÍTICA - AMAZÔNIA

Opinião Critica. 

Nome: Thiago Ferreira.
Nome do Autor: M.C. Jachnkee.
Nome do Livro: Amazônia - Um Caminho para o Sonho.

 ''Queria entrar,olhar e tentar desvendar os mistérios''.
 ''Haviam empregos mas não para quem ia chegando''.

  A história conta a vida de quatro meninas que moravam em Ascurra e que haviam viajado para a Amazônia,e estavam em Manaus.
 Eles tinham um tio que fazia um belo café da manhã e eles foram para a Amazônia, e se impressionavam com tudo que viram.
 Depois voltaram para Ascurra.


OPINIÃO: O que eu achei do livro é que ele é bem legal,pois ele fala sobre viagem. Eu aprendi que devemos sair mais de casa e viajar mais,conhecer novos lugares ser feliz.

CORES DE OUTONO

Opinião Crítica.

Nome: Thainara Paola Barbosa.
Nome do Autor: Keila Gon
Nome da editora e ano: Nova Século,2012
Nome do Livro: Cores de Outono.


                 'O insperado,a impOssível,o destino'...

 Estava concentrada na estrada, tentando sentir o carro como uma continuação de meus lances então.
 Alice levou um susto e mais que rápido acorda Melisa. As duas estão se mudando, e até que emfim chegam à cidade, esperando uma vida simples e calma. Mas logo se viu envolvida por Vincent, um arrogante dono de irresistíveis olhas turquesa.
 A cada encontro,dos dois este homem misterioso assustava e ao mesmo tempo encantava...


OPINIÃO: Observei que neste livro há vários sentimentos e que com estes sentimentos podemos sentir muitas: Alegrias,Tristeza e Etc.. Aprendi que podemos imaginar coisas de outro mundo...


sábado, 14 de setembro de 2013

Entrevista com o ex-combatente Sr. Leopoldo Tomelin

No mês de julho,os alunos do 7º ano tiveram uma missão: Entrevistar alguém, falando da cidade de Rodeio e de detalhes importantes na vida dos entrevistados.
Nessa entrevista, os alunos Andressa, Geison e Mariana entrevistaram o Sr. Leopoldo Tomelin, ex-combatente da Segunda Guerra Mundial.
O mais interessante, é que no dia 7 de setembro, nossa escola homenageou os ex-combatentes e ele participou do desfile.
Abaixo segue fotos e a entrevista:

Entrevista com o Senhor Leopoldo Tomelin
Por: Andressa, Geison e Mariana.



Chegamos à casa de Leopoldo Tomelin para fazer a entrevista com ele sobre Rodeio.

Vamos contar um pouco da sua história: ele tem 90 anos de idade, casado com Belandina Tomelin de 86 anos de idade, tem cinco filhos,  o nome de seu pai é Sfetano Tomelin e o nome de sua mãe é Rosina Tomelin e ele vai completar 64 anos de casado. 


1)    Mudou muita coisa na cidade de seu tempo para agora? Por quê?
R: Mudou muito. O tempo de antigamente não era igual como agora, o tempo era mais difícil em Rodeio, antes da guerra não podia falar em italiano, depois da guerra mudou, podia-se falar em italiano e alemão.

2)   O senhor sobe algum caso polêmico que aconteceu na cidade? Se sim, qual?

R: Não podia falar em italiano, depois uma turma  fez uma festa e tomaram cerveja, assim fizeram uma brincadeira e começaram a falar em italiano e na segunda-feira foram levados na polícia e colocaram eles para capinar na estrada porque antigamente não existia calçada e nem calçamento.

3)   A vida naquele época era boa comparada com agora?

R: Não, era ruim mas agora é mais fácil de conseguir as coisas do que antigamente.  Eles trabalhavam muito antes da guerra  e eram obrigados a trabalhar na lavoura. Depois da guerra mudou muito para mim.

4)   O que o senhor gostaria que Rodeio mudasse na cidade atualmente? E hospital?

R: Não precisava mudar muita coisa. Um hospital tem que ser bom, que agora muitas coisas tem que ir para Blumenau ou às vezes Timbó. Se tivesse em Rodeio como antigamente.

5)   Como Rodeio recebeu vocês quando vieram da guerra?

R: Recebeu sim, todo mundo estava esperando e fomos bem recebidos.

6)    Em relação à segunda guerra mundial, como foi para Rodeio essa decisão? Quais as dúvidas relacionadas à guerra?

R: Uma surpresa para Rodeio.  Foram convocados todo o pessoal e tinham feito o tiro em Rodeio não precisava ir para o exército e depois fomos convocados para ir na guerra, eu fiquei quase três anos lá.

7)    Qual foi o maior confronto em que o senhor participou? E a comunicação com a família?

R: Eu participei em diversos combates em Monte Castelo e depois em Montese que ficava em cima de uma montanha, era uma cidade antiga que tinha muros ao redor a cidade não era muito grande. Eu perdi muitos colegas, ficamos quatro  dias no combate e foi bem difícil. Bem a gente era para se comunicar em cartas só que não podia falar em guerra, quando ia para a guerra não falei para ninguém.  A última carta que eu escrevi eu falei só que eu ia mudar de endereço, meus colegas também não sabiam,  as pessoas falaram para eles para não contar só falar que iria mudar de endereço e foi  feito isso, depois fomos para a Itália no dia do meu aniversário eu sai do Brasil para ir na Itália em 21 de setembro quando ia completar 21 anos, eu achava que eu era o único e tinha muitos soldados mais velhos do que eu.

8)    Qual foi a pior coisa que aconteceu na guerra para o Senhor? E qual foi o seu maior medo de quando o senhor chegou lá para o confronto?

R: A guerra foi em Montese, ficamos quatro dias lá, para eu me salvar eu me joguei em um buraco de uma bomba de avião e tinha um pau no lado, a bomba matou muita gente. Eu fiquei um bom tempo com o barulho no ouvido. A bomba bateu perto da minha cabeça, por cima nem  dois metros da minha cabeça e fiquei com o chiado  no meu ouvido por um tempo. No começo a gente tem medo. A  gente entrou na linha de frente em Monte Castelo e ficamos cinco meses em linha de frente.

9)   Onde o senhor foi convocado?

R: Fui convocado em Blumenau, e os outros para Joinville, depois em São Paulo, ficamos quatro meses e para o Rio de janeiro,  mas ficaram só um pouco e depois foram para a Itália.

10)     Quanto tempo o senhor ficou na guerra? E em qual país o senhor lutou?

R: Cinco meses na linha de frente em dois de maio pensavam que a guerra  já tinha acabado . Ficamos na Itália em várias cidades mas não lembro o nome que faz muitos anos a cidade de Palmas era mais para o Norte eu lembro a cidade tinha uma igreja não era muito grande e estouraram uma bomba dentro da igreja, a igreja que era feita  de pedras, e a parede caiu toda mas sobrou um canto.  Foi um milagre por que as paredes dos lados caíram e a parede que tinha Nossa Senhora não caiu. 

Assim vai terminando a nossa entrevista com o senhor Leopoldo Tomelin que dedicou seu tempo para responder nossas perguntas. Muito obrigada pela sua atenção.



Imagens do dia do desfile:





Obrigada ao Senhor Leopoldo por conceder a entrevista aos meus alunos e pela dedicação da equipe na entrevista.

Abraços,

Professora Cleide.